segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Feira do Pescado atrai mais de 3 mil na Aldeia Amazônica


Seu João Rodrigues, 64 anos, chegou por volta das seis horas na Aldeia Amazônica, bairro da Pedreira, em Belém. Ele garantiu um dos primeiros lugares na fila de prioridade da Feira do Pescado, que foi realizada neste sábado, dia 19. A venda do peixe começou pontualmente as sete da manhã e a fila dentro Aldeia era grande. Seu João optou por levar cinco quilos de bacalhau. “ O preço estava bom e achei mais vantajoso hoje”, disse ele.

Até meio dia quando encerrou a feira, cerca de três mil e quinhentas pessoas já haviam passado na Aldeia Amazônica. Todas saíram de lá com peixe na sacola. Dona Clenilda Rodrigues, 38 anos, veio do bairro da Marambaia em busca dos preços baixos da feira. Ela levou para casa 12Kg de Gó, filé de pescada amarela e camarão. “ Valeu muito pena ter vindo aqui. Fiz uma boa economia” disse ela.

Foram comercializadas cerca de 2 toneladas e meia de pescado. O menor preço era o quilo da Gó pequena que custava R$ 2,50. “ Foi um dos mais vendidos na feira. O camarão também acabou rápido”, explicou a coordenadora de comercialização da feira Neide Batista.

O público que foi a feira também pode assistir o show musical do cantor Emerson Martins.

A Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura contou com a apoio do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e Prefeitura de Belém na realização da Feira do Pescado na Aldeia Amazônica.

“ O calendário das próximas feiras ainda será definido pela SEPAq. A idéia é levar o pescado mais barato para outros bairros da capital paraense”, disse o Secretário Estadual de Pesca e Aquicultura André Pontes.


quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Mensagem de Círio!


CELEBRAÇÃO DO CÍRIO 2013 NA SEPAq SERÁ NESTA SEXTA, DIA 11

Nesta sexta-feira, dia 11, às 9h da manhã, servidores da Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura (SEPAq) vão receber a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré que é usada na procissão do Círio das Crianças.
Será feita uma celebração religiosa pelo Diácono Miguel, da Basílica Santuário, com a participação de um Coral formado por servidores da secretaria.
Depois disso haverá uma confraternização entre os servidores. 

segunda-feira, 30 de setembro de 2013


O vereador do Partido Progressista (PP)  de Capitão-Poço , Raimundo Mota, foi recebido nesta segunda –feira, dia 30, no gabinete do Secretário Estadual de Pesca e Aquicultura, André Pontes.Na foto ele ao lado de uma comitiva de servidores da SEPAq.

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Encerra hoje Encontro de Pesca e Aquicultura de Pirabas


Termina nesta sexta-feira (12) o 1o Encontro de Pesca e Aquicultura de Pirabas, localizado em São João de Pirabas. O evento começou na quinta-feira (11) pela manhã com o curso "Piscicultura em viveiros escavados", ministrado pelo técnico em gestão de pesca e aquicultura da Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq), Ediano Sandes. Compareceram cerca de 60 participantes entre produtores rurais, técnicos da área e muitos pescadores locais interessados no assunto.
O curso tratou de temas essenciais para a pscicultura como a escolha do terreno, a construção de viveiros, a qualidade da água utilizada , manejo alimentar, biometria, entre outros. "A China é um dos maiores produtores de peixe no mundo e a aquicultura é a principal causadora disso. O Brasil pode fazer o mesmo, pois tem esse potencial. O difícil não é montar a estrutura física e sim em pensar em como esses peixes podem ser não só produzidos como também comercializados. É importante visar o lucro", ressaltou Ediano Sandes.
Pela parte da tarde, o curso "O papel da mulher na sociedade" foi ministrado pela gerente de planejamento da Sepaq Silvana Benassuly. Cerca de 30 mulheres pescadoras participaram da programação. Entre os assuntos, destaque para a economia solidária: cooperativismo e associativismo e a importância das mulheres se juntarem para terem representação.
"Achei interessante. Gostei muito porque é uma forma de ter mais conhecimento para produzir mais peixe. Essa é uma ótima iniciativa", revelou a pescadora do município, Maria Helena Trindade. Já o técnico em agropecuária Manoel Santos pôde reciclar conhecimentos. "Deu para me aprofundar e atualizar os conhecimentos que eu já tenho na área da piscicultura", disse. Hoje está sendo realizado a continuação dos mesmos cursos.
O evento, que começou no dia 11, é uma parceria da Sepaq com a prefeitura local. Nos próximos finais de semana de julho a Sepaq ainda fará ciclo de palestras em Curuçá (18 a 20 de julho) e Vigia (25 a 27 de julho). Também começa hoje o 1o Encontro de Produtores Rurais da Região do Salgado também em São João de Pirabas. A Sepaq participará do evento com um estande para divulgação das ações e projetos da secretaria.

Mosqueiro terá Feira do Pescado até domingo

Diante de bom movimento registrado no primeiro dia da Feira do Pescado na Vila do Mosqueiro, com grande adesão dos veranistas, indicando que a procura será crescente neste sábado, o coordenador do evento, Mauro Leite, técnico da Secretaria de Pesca e Aquicultura, confirmou que a Feira se estenderá até o domingo, 13, atendendo a pedidos dos próprios veranistas que encontram as dependências do mercado municipal, na Vila, sempre lotadas, dificultando as compras. A Feira da Sepaq está montada na Praia do Bispo em frente à Rua dos Jambeiros (na curva que dá acesso à Vila), local estratégico definido pelo coordenador e pelos dirigentes da indústria Forte do Pescado, responsável pelo abastecimento do produto. A curva é trajeto obrigatório dos veiculos que vêm das praias, a partir da Praia do Farol, Chapéu Virado, Porto Arthur, Murubira, Ariramba e demais, que passam pelo local onde está montada a Feira do Pescado.
Eis os produtos que estão à disposição dos consumidores, todos a preços populares que variam de 10% a 40% em relação aos preços praticados no mercado:
Peixes Xaréu, Dourada, Tainha, Camorim, sardinha, Serra e Pescada amarela (todos com cabeça). Os peixes sem cabeça são a pescada branca e a Gurijuba.
O filé também está na área com a pescada branca, pescada amarela, filhote, salmão e gó.
O bacalhau tem em diversas modalidades: o filé dessalgado, o peixe tipo bacalhau salgado e desfiado, o bolinho de bacalhau e, ainda, o lombo de bacalhau dessalgado.
Tem camarão rosa mix, camarão rosa tipo exportação (G), camarão rosa grande e médio, o descascado GG e o camarão rosa empanado.
Finalmente, o picadinho e o hamburguer de peixe (pode degustar na hora) e todos os ingredientes para o preparo da famosa Paela.
Nos três dias, a Feira obedecerá ao horário das 8 às 14 horas. É grande a movimentação dos veranistas na promoção da Sepaq com apoio do Governo do Estado. Na foto, aspecto da Feira realizada em Mosqueiro, ano passado.

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Mosqueiro recebe Feira do Pescado sexta e sábado

Será na Praia do Bispo em frente à Rua dos Jambeiros (na curva que leva à Praça da Matriz), em Mosqueiro, a Feira do Pescado Popular da Secretaria de Pesca do Estado. Os veranistas poderão adquirir vários produtos, além do peixe e do camarão rosa, a preços bem abaixo da tabela, nos dias 12, sexta feira, e 13, sábado, no horário das 8 às 14 horas. Veja a tabela de produtos e preços:

terça-feira, 9 de julho de 2013

Normas para o transporte do caranguejo-uçá



O Ministério da Pesca e Aquicultura, através do Ministro Marcelo Crivella, publicou Instrução Normativa determinando normas e padrões para o transporte do caranguejo-Uçá, Ucrides cordatus, nos estados do Pará, Maranhão, Piauí e Ceará. 
Eis a integra da Instrução:


O MINISTRO DE ESTADO DA PESCA E AQUICULTURA, no uso de suas atribuições, e tendo em vista o disposto na Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003, bem como o disposto na Lei 11.959, de 29 de junho de 2009, e no Decreto nº 6.981, de 13 de outubro de 2009, e o que consta no processo nº 02001.004135/2008-25 e nº 00350.004708/2012-1 resolve:

Art. 1º Estabelecer normas de acondicionamento para fins de transporte terrestre e aquaviário de carga viva de indivíduos de caranguejo- uçá , Ucides cordatus, nos Estados do Pará, Maranhão, Piauí e Ceará.

Art. 2º Permitir o transporte de espécimes de caranguejo-uçá vivos, considerando os seguintes critérios:
I - as pessoas físicas ou jurídicas devem estar inscritas no Cadastro Técnico Federal do IBAMA, para transporte de espécimes de caranguejo-uçá vivos;
II - as pessoas físicas ou jurídicas devem se enquadrar no disposto no inciso I deste artigo e devem estar acompanhadas de documento de comprovação de origem do produto;
III - os espécimes de caranguejo-uçá devem estar acondicionados desamarrados da seguinte forma:
a) quando em transporte terrestre: em caixas plásticas vazadas, forradas com espuma de acolchoamento embebida em água, conforme modelo descrito no anexo desta norma;
b) quando em transporte aquaviário: acondicionados em caixas plásticas vazadas, sacos, paneiros, peras ou acomodações que garantam a sobrevivência dos espécimes.
Parágrafo único. Após o descarregamento, as caixas e as espumas de acolchamento devem ser lavadas e higienizadas.

Art. 3° Os espécimes de caranguejo-uçá apreendidos vivos pela fiscalização quando transportados em desacordo com as normas estabelecidas nesta Instrução Normativa, deverão ser liberados no seu habitat natural, preferencialmente no local aonde foram coletados, respeitando-se o disposto no art. 107, inciso I, do Decreto nº 6.514 de 22 de julho de 2008. 

Art. 4° Aos infratores da presente Instrução Normativa serão aplicadas as penalidades previstas na Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro 1998 e no Decreto nº 6.514, de 23 de julho de 2008.

Art. 5º Esta Instrução Normativa entra em vigor 180 (cento e oitenta) dias após a sua publicação.

MARCELO CRIVELLA

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Sepaq marca presença na Agrifal


A Secretaria de Pesca e Aquicultura do Estado do Pará (Sepaq) marcou presença na Feira da Agricultura Familiar da Amazônia Legal (Agrifal), que começou no último dia 3, e vai até hoje (5), de 14h às 22h. Com um estande fixo, durante todos os dias que ocorrem o evento, a Sepaq expõe ao publico amostras de instrumentos utilizados durante a prática da pesca, como o matapi (que é constituído de talas de palmeira, possui formato de funil, e serve como apetrecho para a pesca do camarão), travesseiro e lanterna (instrumentos utilizados para o cultivo de ostras, que as abrigam durante o crescimento), coletor de sementes (feito de garrafa pet), mais alguns contentores (que são utilizados para o transporte de caranguejo).
Ainda, embeleza o local vários recipientes contendo amostras de diversas espécies de camarão da região paraense, além de ostras, em vários estágios de evolução. O público que for prestigiar o estande da Sepaq poderá saborear alguns quitutes de pescado produzidos no Estado como: camarão, ostras, e filé de dourada. Também poderá assistir a vídeos que apresentam os trabalhos que este órgão desenvolve na capital e pelos interiores do Estado. Ao mesmo tempo contará com a apresentação de expositores esclarecendo dúvidas relacionadas à atividade da pesca e outras
A estudante Fernanda Souza, de 21 anos, pôde esclarecer suas dúvidas relacionadas à área para atuação de maior desenvolvimento no mercado de trabalho. Assim como uma curiosidade pessoal, que diz respeito à sensibilidade dos moluscos com a salinidade das águas. Ainda, Fernanda demonstrou satisfação com o trabalho que os técnicos da secretaria desenvolvem com a comunidade ribeirinha, como a capacitação destes pescadores. E aprovou a decoração do ambiente. "Adorei inclusive os quadros artísticos que estão em exposição, confeccionados com conchas de ostras", revelou. 

Neste sábado (6), a Feira do Pescado é na Terra Firme, Ceasa e Soure

Neste sábado (6), a Feira do Pescado promovida pela Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq) será sediada em três localidades. Em Belém, a feira ocorrerá na Paróquia São Domingos Gusmão, localizada no bairro da Terra Firme. No município de Soure, localizado no Arquipélago do Marajó, a feira será na praça do mercado municipal. Em ambas, o horário de funcionamento é de 8h às 14h. E no Ceasa, também em Belém, de 5h às 10h. Ressaltando que essas feiras visam oferecer pescados de qualidade à população por um preço mais acessível do que em outros tipos de feiras.

Na feira da Terra Firme, o consumidor poderá encontrar pescados sem cabeça, como a pescada branca (R$ 8,50 granel); posta de peixe, como a piramutaba (R$ 7,50 granel); também filé de peixe, a exemplo da dourada (R$ 13 granel), pescada branca (R$ 13, 50 granel), cação (R$ 9 granel); bacalhau dessalgado (R$ 22 granel); e produto como o camarão rosa mix (R$ 25 pacote com 1 quilo).
Já na feira do Ceasa, o público terá opções de peixe inteiro resfriado, a exemplo da pescada amarela (R$ 13 granel); salmão inteiro (R$ 28 granel); peixe inteiro congelado, cavalinha (R$ 3,50 granel), salmão (R$ 17,50 granel); filés de peixe, gó (R$ 12 granel), merluza (R$ 12 granel), salmão (R$ 25 granel); também serão ofertados produtos de bacalhau do porto do salgado (R$38 granel), bacalhau bolinho (R$ 16) contendo 12 unidades; assim como produtos diversos, carne de siri congelada (R$ 10) pacote com 500 gramas; lula calamar congelada (R$ 13 granel); polvo nacional congelado (R$ 23 granel) e outros.
É importante ressaltar que os produtos comercializados em cada ponto não são os mesmos, visto que a Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq), organizadora da Feira, faz parceria com fornecedores específicos para cada lugar.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Agrifal 2013 começa no Hangar com quase 10 mil visitantes



Cerca de 10 mil pessoas já passaram pelo Hangar Convenções e Feiras da Amazônia, onde acontece a Feira da Agricultura Familiar da Amazônia Legal (Agrifal), aberta oficialmente na noite desta quarta-feira (3), pelo vice-governador do Pará, Helenilson Pontes. Esta é a segunda edição do evento, que reúne em Belém agricultores familiares de 80 municípios paraenses, representantes de seis Estados da Amazônia Legal e delegações do Suriname, da Itália e da Espanha.

A Agrifal 2013, já considerada um dos maiores eventos de exposição, comercialização e divulgação da produção agrícola familiar na Amazônia Legal, reúne 600 produtos desse ramo da agricultura, de todas as regiões do Pará. Alguns participam de projetos experimentais desenvolvidos pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater), realizadora do evento. Esse é o caso de Arimar Feitosa, morador da comunidade do Maguari, no município de Belterra, no oeste paraense. Da fusão de algodão cru com látex, ele desenvolveu o couro ecológico, um processo que aumentou a renda da família e gerou emprego para 25 outras famílias no município, e sem agredir o meio ambiente.

A Feira, que também quer aproximar o mundo rural do público urbano, dispõe de uma vasta programação técnica, incluindo cursos sobre apicultura, avicultura básica, pastejo rotacionado, comercialização, gestão de propriedade, comercialização e painéis interativos, que abordam o manejo de açaizal nativo e dendê consorciado para a agricultura familiar. A programação oferece ainda seminários e oficinas sobre técnicas básicas de fotografia e cozinha saudável.

Um espaço foi montado na Agrifal para mostrar, com recursos audiovisuais e instalações de miriti, equipamentos utilizados em décadas passadas e projetos inovadores, que ajudaram a mudar a produção agropecuária na Amazônia.

“Pela amplitude que tomou esse projeto, fazer a Agrifal 2013 foi vencer grandes desafios. A Feira que pensamos para ser da Amazônia Legal, hoje tem cunho internacional”, ressaltou Cleide Amorim, presidente da Emater.

Para esta quinta-feira (4), as programações envolvem mesas redondas, para debater o programa de indicação geográfica. Estão confirmadas as participações dos professores Giovanni Belletti e Silvia Scaramuzzi, da Universidade de Firenze (Itália). O tema Cooperativismo e tendência de gestão cooperativista no cenário atual será abordado pelo professor José Daniel Gomes Lopez, da Universidade de Alicante (Espanha).

Fonte: Iolanda Lopes / Agência Pará

terça-feira, 2 de julho de 2013

Sepaq faz programação de julho voltada para balneários e incentivo ao pescador

Nesse mês de julho, alguns dos balneários mais conhecidos pelos paraenses vão receber a Feira do Pescado, além da própria capital paraense. No próximo sábado (6), o município de Soure, localizado no Arquipélago do Marajó, e o bairro da Terra Firme, em Belém, serão sede da feira. A feira ainda volta a ser realizada em Soure no dia 20 de julho. O distrito de Mosqueiro terá a Feira do Pescado nos dias 12 e 13 de julho e Outeiro também receberá a feira no dia 13. Os horários continuarão os mesmos, sempre das 8h às 14h.

Essa é uma estratégia da Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq) para continuar a oferecer pescado de qualidade por pelo menos 10% mais em conta do que o restante do mercado para a população, que neste mês de julho costuma migrar para os balneários durante os finais de semana. No bairro da Terra Firme, em Belém, a feira será realizada na Paróquia São Domingos Gusmão. Em Soure, será na praça do mercado municipal. Em Mosqueiro, será na praça Cipriano Santos, localizada na Vila. Já em Outeiro, será em um galpão próximo ao estacionamento do distrito, localizado na estrada principal.

Incentivo ao pescador

O mês de julho ainda será de apoio aos pescadores do Estado. Segundo a lei 6.901 de 13/09/2006, que instituiu o segundo domingo do mês de Julho (que este ano cai no dia 14) para comemorar o Dia do Pescador no Estado do Pará, serão realizados seminários organizados pela Sepaq em diversas colônias do interior do Pará: São João de Pirabas (de 11 a 13 de julho, durante o 1° Encontro de Produtores Região do Salgado e o 1° Seminário de Pesca e Aquicultura de Pirabas), Curuçá (18 a 20 de julho) e Vigia (25 a 27 de julho).

Esses seminários visam a valorização do pescador e envolverão temas como boas práticas de manipulação do pescado à bordo e em terra e o papel da mulher na sociedade. A Sepaq ainda fará uma palestra sobre licenciamento ambiental na Exposição Agropecuária de Tucuruí (Expotuc). O evento será realizado de 31 de julho a 4 de agosto deste ano.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Novo número da Sepaq

Recentemente, a Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq) mudou de número. Agora o telefone geral da Sepaq é (91) 3110-5900.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Sepaq reúne com a Adepará para tratar da GTA

Ontem (25), a Secretaria de Pesca e Aquicultura (Sepaq) recebeu em sua sede a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará). Nessa ocasião, foram discutidas novamente questões relacionadas à licença ao Guia de Trânsito Animal (GTA), como sementes bivalves, peixes, caranguejos, além da cobrança de taxas nesse procedimento.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Sepaq pretende gerenciar a Pesca Esportiva no Estado

Após a avaliação de que as leis relacionadas à Pesca Esportiva de número 6.167 de 1998 estavam obsoletas, a Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq) propôs reformulações que já foram apresentadas ao Comitê Permanente de Gestão da Pesca Esportiva do Estado do Pará (Cogespe), nesse mês de junho. Entre as mudanças, há o intuito da Sepaq de compartilhar a gestão da Pesca Esportiva com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). Atualmente a função de gerenciamento dessa atividade é restrita a essa Secretaria.

A pretensão da Sepaq é de que ambos os órgãos trabalhem em parceria, sendo que a Sema continuaria com as ações de fiscalização da Pesca Esportiva, e a Sepaq seria responsável pelo resto da demanda, como profissionalizar os torneios de pesca, para que os mesmos sejam indutores do turismo de pesca; assim como incentivar a realização de eventos nesse segmento e de pesca em geral, visando também a capacitação de toda a cadeia produtiva desse segmento, sem esquecer de obter o desenvolvimento dos locais onde ocorre a pesca.

Além disso, a Sepaq pretende produzir pesquisas voltadas para essas áreas, como por exemplo: a quantidade de sitio pesqueiro no Estado; o perfil dos pescadores da Pesca Esportiva, entre outros. Também faz parte do projeto a visita aos municípios do Estado que têm potencial para a Pesca Esportiva, ou seja, local no qual já ocorrem os torneios, e onde esses eventos já estão consolidados, destino certo dos esportistas tanto do próprio Estado, como advindo de outros. É o caso do município de Salinópolis, que tem como segmento prioritário o turismo, que em parte é motivado pela pratica da Pesca Esportiva.

Desse modo, com o incentivo da atividade nessa localidade, ambos os segmentos só tendem a crescer. Está prevista para o dia 25 de julho uma reunião para que sejam feitas as devidas considerações e o aval da decisão, para então esse projeto ser encaminhado para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Incentivo à Produção (Sedip) e por último para a Procuradoria Geral do Estado do Pará (PGE). A princípio, o projeto foi bem aceito pelos parceiros.

Os membros que integram o Cogespe são: Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), Secretaria de Estado de Turismo do Pará (Setur), Associação dos Pescadores Esportivos do Lago de Tucuruí (Apelt), Federação das Associações dos Municípios do Estado do Pará (Famep), Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) e a própria Sepaq.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Feira neste sábado ocorre no Entroncamento e no Centur

Neste sábado (22), em Belém, ocorrem mais duas Feiras do Pescado, uma localizada no Parque de Exposições, Entroncamento. E a outra, na Fundação Tancredo Neves (Centur). Ambas funcionam de 8h às 14h. Essa feira é uma realização do Governo do Estado por meio da Secretaria de Pesca e Aquicultura (Sepaq), que visa oferecer pescados de qualidade à população por um preço mais acessível do que em outros tipos de feiras.
A variedade ofertada de pescados em ambas as feiras é grande. Por exemplo, na Feira do Entroncamento, o público tem como opções de compras a pescadinha tanto eviscerada (R$ 8 o quilo) como espalmada (R$ 10 o quilo). Entre os filés de peixes, tem-se a pescada branca (R$12 o quilo), e a douradinha (R$ 14 o quilo). Ainda, pode-se comprar camarão, nos tamanhos: pequeno (R$ 22); médio (R$ 30) e grande (R$ 35), preço do quilo. Além de produtos diversos, como hambúrguer de peixe (R$ 5) e picadinho de peixe (R$ 4), pacotes com 500 gramas.
Já na Feira do Centur, o consumidor pode encontrar uma variedade ainda maior de produtos, desde peixes inteiros, como o xaréu (R$ 4); dourada (R$ 12); sardinha inteira (R$ 7); tainha (R$ 10); pescada amarela (R$ 16); camorim inteiro, tamanho pequeno (R$ 10), e grande (R$ 17). Ainda, têm-se pescados sem cabeça, como a gurijuba (R$ 10), granel. Vários tipos de bacalhau também são opções de compras, como o bacalhau filé dessalgado (R$ 23), granel; dois tipos de pacotes de bolinho de bacalhau, o primeiro contém 1.600 gramas (R$ 60), e o segundo com 1.248 gramas (R$ 55), por pacote.
Também tem camarão sem cabeça, de diversos tamanhos, como o grande que custa (R$ 30); camarão do tipo descascado GG, por apenas (R$ 40), o pacote de 1 kg; camarão rosa empanado (R$ 10), a bandeja de 250 gramas. Além disso, terá caranguejo no Centur, que serão vendidos pelo preço de 4 unidades por R$ 5.

terça-feira, 18 de junho de 2013

Sepaq firma parcerias com municípios

Reunião com comitiva de Conceição do Araguaia

Reunião com membros do município de Salinópolis
Essa semana, a Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq) definiu parcerias com o município de Salinópolis e Conceição do Araguaia. No caso de Salinópolis, ficou acertado que uma equipe da Sepaq irá ao município para que sejam programadas ações voltadas à pesca esportiva. Essas ações devem ser realizadas na comunidade Gaudina e estão previstas para o segundo semestre. O apoio à aquicultura e à criação de ostras na região também está em pauta. Isso foi acertado em uma reunião realizada ontem (17), entre o secretário de turismo de Salinópolis, Jean Barbosa, e equipe, e o titular da Sepaq, Henrique Sawaki, na sede da Sepaq.

 
Também foi realizada ontem (17), uma reunião entre Henrique Sawaki e o membro do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e sócio da Associação dos Aquicultores de Conceição do Araguaia (Aquicom), Júnior Queiroz, que também veio acompanhado. Eles acertaram detalhes sobre a emenda parlamentar do deputado Zequinha Marinho, que visa construções de viveiros dos associados da Aquicom, além da concessão de uma escavadeira hidráulica. A Sepaq, nesse caso, já está a fazer a licitação. Na semana passada, a Sepaq também fechou parceria com o município de Capitão Poço. Na ocasião, representantes do município buscaram incentivo a pequenos produtores da região. Ficou acertado que a Sepaq contribuirá com a doação de 10 mil alevinos para beneficiar esses produtores.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Tabela de preços das feiras deste sábado

Confira a tabela de preços dos pontos da Feira do Pescado deste sábado (15), em Belém, na Terra Firme (Paróquia São Domingos Gusmão) e na Marambaia (Centro Comunitário Nova Marambaia). As feiras funcionarão das 8h às 14h.




quarta-feira, 12 de junho de 2013

Sepaq se reúne com outros órgãos para discutir normas relacionadas à GTA

Essa semana a Secretaria de Pesca e Aquicultura (Sepaq), se reuniu pelo período da manhã com representantes dos seguintes órgãos: Agência de Defesa Agropecuária (Adepará), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). O objetivo dessa reunião foi de propor parcerias de trabalho para a elaboração de normas relacionadas ao Guia de Trânsito Animal (GTA) de peixes, caranguejos, sementes bivalves e outros. É importante que se tenha esse documento para a liberação dos transportes de animais, e através dessas normas que visam diminuir a burocracia, esses transportes podem ser liberados mais rápidos. Lembrando que a emissão da GTA se dá por meio da Adepará.

Sábado tem Feira do Pescado em três pontos no Estado

A Feira do Pescado volta neste sábado (15), em Belém, nos bairros da Marambaia e da Terra Firme. No interior do Estado, a feira também será realizada em Soure, com fornecedores locais. Ambos os pontos funcionarão das 8h às 14h. No bairro da Terra Firme, a feira será realizada na Paróquia São Domingos Gusmão. Lá, serão ofertados peixes inteiros a exemplo da gurijuba (R$8,50 o quilo), bagre (R$5,50 o quilo), dourada (R$8,50 o quilo), xaréu (R$4 o quilo) e piramutaba (R$4,40 o quilo). Entre os filés de peixe, destaque para a dourada (R$13 o quilo), pescada amarela (R$21 o quilo) e pescada branca (R$13,50 o quilo). Outros produtos como o bacalhau (R$22 o quilo) e o camarão (R$25 dois pacotes com 500g) também podem ser encontrados. 
Já no bairro da Marambaia, a feira será no Centro Comunitário Nova Marambaia. Lá, produtos distintos serão ofertados. Entre os peixes inteiros, estão o xaréu (R$4 o quilo), a dourada (R$12 o quilo), a sardinha (R$7 o quilo) e a tainha (R$10 o quilo). Entre os filés de peixe, destaque para a dourada (R$13,50 o quilo), a pescada amarela (R$22 o quilo), o filhote (R$25 o quilo) e o salmão (R$27 o quilo). Na Marambaia alguns produtos nobres e outros diferenciados poderão ser encontrados, a exemplo do camarão G (R$30 o quilo), ingredientes para a paella (R$22 o pacote com um quilo), bacalhau salgado desfiado ou dessalgado (R$23 o quilo) e lombo de bacalhau dessalgado (R$27 a caixa com 600g).
É importante ressaltar que os produtos comercializados em cada ponto não são os mesmos, visto que a Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq), organizadora da Feira, faz parceria com fornecedores específicos para cada lugar. Nos pontos de Belém, serão aceitos cartões de débito ou crédito. A Feira do Pescado tem como objetivo oferecer peixes e mariscos à população com preços pelo menos 10% mais em conta do que em supermercados e feiras abertas. No sábado seguinte a esse, dia 22, a feira estará na Fundação Tancredo Neves (Centur).

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Servidores da Sepaq participam de missa

Hoje (10), às 10h, todos os servidores da Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq) se reuniram para participar de uma missa em homenagem ao aniversário do secretário adjunto da Sepaq, Luis Sérgio Borges. A celebração, que emocionou diversos servidores, foi no auditório da Secretaria e também fez parte das homenagens ao período junino.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Feira do Pescado estará na Ceasa neste final de semana

Nesse sábado (8), a Feira do Pescado promovida pela Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq) será na Ceasa, das 5h às 10h. Por conta de uma parceria entre a Sepaq e a Ceasa, pelo menos uma vez ao mês será realizada a Feira do Pescado no local. Nesta edição, serão ofertados peixes resfriados, congelados, filés de peixe, bacalhau de diversos tipos e frutos do mar.

Duas espécies de peixe resfriado serão vendidas: o salmão inteiro (R$25 o quilo) e a pescada amarela inteira (R$13 o quilo). Em relação aos peixes inteiros congelados estão espécies como o tambaqui (R$9 o quilo), a sardinha (R$6 o quilo) e o salmão (R$17,5 o quilo). Já os filés de peixe, será possível encontrar espécies regionais como o gó (R$12 o quilo), assim como peixes conhecidos nacionalmente como a merluza (R$12).

Três produtos com bacalhau serão ofertados: o bacalhau do porto salgado (R$38 o quilo), o bacalhau saithe salgado (R$22 o quilo) e o bolinho de bacalhau (R$16 o pacote com 12 unidades). Entre os frutos do mar, destaque para o camarão (R$25 o quilo), a carne de siri congelada (R$10 o pacote com 500 gramas) e a lula (R$13 o quilo). Neste sábado, a forma de pagamento será apenas dinheiro. A Feira do Pescado é uma ação do Governo do Estado para que a população possa comprar peixes e mariscos a preços mais em conta do que em supermercados e feiras abertas. A média de venda por edição do evento é de 4 a 6 toneladas.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Nota de Esclarecimento

A Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq) informa que na última segunda-feira (3) teria uma Feira do Pescado em Goianésia do Pará em parceria com a prefeitura local. No entanto, na sexta-feira (31), a prefeitura de Goianésia entrou em contato com a equipe de organização da feira da Sepaq e cancelou o evento no município. É importante ressaltar que o Governo do Estado, por meio da Sepaq, se mobilizou, enviou técnicos para a organização da feira, articulou a participação do fornecedor e fez todos os preparativos para a realização do evento, cancelado em cima da hora.

sábado, 1 de junho de 2013

Sepaq recebe associação quilombola

Nessa semana, a Secretaria de Pesca e Aquicultura (Sepaq), representada pelo titular Henrique Sawaki, recebeu em sua sede, a visita de Carlos Nunes e de Paulo Nunes, este último coordenador geral da Associação dos Moradores e Agricultores Remanescentes Quilombolas do Alto Acará (Amarqualta). Na ocasião, a associação procurou o órgão no intuito de estabelecer uma parceria, para que os ajudassem com orientações sobre a criação do peixe. Entretanto, a Sepaq aguarda um ofício da Amarqualta para atender a requisição.

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Depois do feriadão tem Feira do Pescado

Após o feriado, será dia de comprar peixe mais em conta na Feira do Pescado, a ser realizada no próximo sábado (1), na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, localizada no bairro da Pedreira. Como sempre, a Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq) em parceria com a Superintendência Federal de Pesca e Aquicultura do Pará, oferecerá produtos de qualidade a preços pelo menos 10% mais baratos do que em supermercados e feiras abertas.

Nesta edição, destaque para os peixes inteiros de dourada (R$9 o quilo), gurijuba (R$10 o quilo), piramutaba (R$6 o quilo) e xaréu (R$4 o quilo). Entre os filés de peixe, os grandes sucessos são das seguintes espécies: filhote (R$25 o quilo), pescada amarela (R$22 o quilo), dourada (R$13,50 o quilo) e gó (R$7,5 o quilo).

Em relação a frutos do mar, serão ofertados o camarão mix (R$25 o quilo) e o camarão sete barbas (R$18 o quilo). Nesta edição da feira, será aceito cartão de crédito ou débito. A Sepaq aproveita para informar que por conta do feriado a Feira do Pescado na Ceasa, que também seria neste sábado, foi adiada para o dia 08 de junho.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Feira do Pescado agrada em mais um sábado

Sábado (25) aconteceram duas edições da Feira do Pescado, uma no bairro do Paar e outra na Terra Firme. Desde cedo, dezenas de pessoas já se aglomeravam em uma fila à espera do chamamento de suas respectivas senhas. "Essas senhas servem para a Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq) tenha o controle de quantas pessoas o projeto está atendendo", afirmou o técnico de pesca Fábio Tourão, que acompanhou todo o evento, dando as coordenadas para que tudo ocorresse tranquilamente.

A doméstica Aurimar Santos, de 57 anos, que já é frequentadora antiga do evento e sempre está ligada no calendário das feiras para marcar presença. Desta vez, ela pôde ir comprar o peixe no seu próprio bairro, na Terra Firme. "O maior atrativo da feira além do preço, está no ambiente higiênico e tranquilo para a compra do pescado”, revelou. Com duas sacolas cheias de peixes como piramutaba, ela levou o almoço garantido do feriado de Corpus Christi.

Um dos fornecedores parceiros da Sepaq, José Barreto, afirmou que a expectativa de venda varia de acordo com o público, mas estima-se que 4 toneladas de peixes variados foram vendidos na Terra Firme. No Paar, a média também foi essa. "Mas a prioridade é de atender bem, vender produto de qualidade, atendendo não somente o consumidor, mas também o plano do Governo, de incentivar a população a consumir pescado por produzir vários benefícios à saúde, a um preço mais acessível do que em supermercados e outras feiras", explicou José Barreto.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Paar também será ponto da Feira do Pescado deste sábado

Foi confirmado hoje (23) mais um ponto da Feira do Pescado deste sábado (25). Além da Terra Firme, o bairro do Paar, em Ananindeua, também acolherá o evento. A feira será realizada no Conselho Comunitário do Conjunto do Paar, localizado na Avenida Rio Solimões, ao lado da Escola Estadual Manuel Saturnino, Quadra 57, s/n. O horário será das 8h às 12h. Esta feira reunirá as principais espécies que fazem sucesso pelo preço baixo e a qualidade do pescado. Um exemplo é o xaréu com cabeça (R$4 o quilo), a piramutaba sem cabeça ou inteira (ambas R$5 o quilo), o bagre sem cabeça (R$6 o quilo), arraia (R$4 o quilo), entre outros.

Entre os filés de peixe que serão comercializados estão o de dourada e de pescada branca (ambas R$13 o quilo), além de pescada amarela (R$22 o quilo). Também será vendido camarão rosa mix a R$20 o quilo. A Paróquia São Domingos Gusmão, localizada no bairro da Terra Firme, é o outro local escolhido para a realização da Feira do Pescado deste sábado. A feira na Terra Firme será das 8h às 14h. Entre os peixes que serão comercializados lá estão a pescada amarela (R$ 22,00 o quilo), pescada branca (R$ 14,00) e o cação (R$ 12,00). Destaque ainda para os filés da dourada (R$13,50 o quilo) e produtos nobres como o bacalhau dessalgado (R$ 22 o quilo). O caranguejo é outro atrativo da feira da Terra Firme, e será vendido a R$ 5,00 quatro unidades.

Peixes vendidos inteiros e que são bastante procurados pelos consumidores também estarão à venda na Terra Firme, como o bagre (R$ 6,50 o quilo), a dourada (R$ 10,00), a sardinha (R$ 7,00), o xaréu (R$4 o quilo) e a piramutaba (R$ 4,50). Como sempre, o público terá acesso a produtos de qualidade e a um preço bem mais atraente. As compras poderão ser feitas em dinheiro ou ainda com cartão de crédito ou débito em ambos os pontos. É importante ressaltar que cada ponto tem a sua própria tabela de preços e espécies, visto que os fornecedores são diferentes. A Feira do Pescado é promovida pela Secretaria de Pesca e Aquicultura do Estado (Sepaq) com o objetivo de incentivar a população a inserir o peixe, considerado um dos dez alimentos mais saudáveis que existem, no cardápio familiar.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Terra Firme é o ponto da Feira do Pescado deste sábado

A próxima edição da Feira do Pescado promovida pelo Governo do Estado através da Secretaria de Pesca e Aquicultura (Sepaq) será realizada neste sábado (25), das 8h às 14h, na Paróquia São Domingos Gusmão, localizada no bairro da Terra Firme. Entre os peixes populares da Feira do Pescado estão os filés da dourada (R$13,50 o quilo), da pescada amarela (R$22 o quilo), da pescada branca (R$14 o quilo) e do cação (R$12 o quilo). Ainda serão vendidos produtos nobres como o bacalhau dessalgado (R$22 o quilo). O caranguejo vivo também é um dos produtos que prometem fazer sucesso. Quatro unidades do caranguejo serão vendidas a R$5.

Em relação aos peixes inteiros, destaque para o bagre (R$6,50 o quilo), a dourada (R$10 o quilo), a sardinha (R$7 o quilo), o xaréu (R$4 o quilo) e a piramutada (R$4,50 o quilo). Como sempre, a Feira do Pescado traz produtos de qualidade a um preço mais em conta para o consumidor. O objetivo é incentivar o consumo do peixe no Estado, já que este é considerado um alimento saudável. Nesta feira, além do dinheiro, as formas de pagamento também podem ser com cartão de crédito e débito.

sábado, 18 de maio de 2013

Sepaq inaugura Feiras do Pescado móvel e mensal

Com grande afluência dos moradores do bairro da Pedreira, e adjacências, a Secretaria de Pesca e Aquicultura do Pará inaugurou neste sábado o sistema itinerante e mensal de Feiras do Pescado, levando peixes, bacalhau, camarão rosa, ostras, carangueijos e outros produtos a preços bem abaixo da tabela que o praticado em feiras e supermercados de Belém e região metropolitana. A Sepaq cumpre objetivos do Governo do Estado de levar o alimento nutritivo, como o peixe, a preços populares, para todas as regiões da cidade, e também aos municipios. A Feira aconteceu em Marabá e Ananindeua, por exemplo.
O maior atestado desta satisfação foi dado pelo consumidor José Norte (foto), morador da rua Barão do Triunfo, na Pedreira, que comprou várias espécies de peixe, destacando o xaréu. "A esse preço, de R$4", disse, satisfeito, carregando dois sacolões de peixes. 
O Secretário de Pesca do Estado, Henrique Sawaki, e a diretora de Pesca, Jossandra Pinheiro, acompanharam todo o desenrolar deste evento, que contou com outra indústria como parceira, a Norte Fish, presidida pelo sr. Armando Burle Filho, que esteve pessoalmente coordenando as ações. Foram comercializadas mais de três toneladas de peixe, além de camarão rosa, verduras, ostras, caranguejo, enfim, tudo a "preços convidativos", como afirmou o "seu" José, que logo quis saber quando a Feira voltaria para a Igreja Nossa Senhora Aparecida, na Pedreira. No próximo sábado, 25, a Feira do Pescado estará no bairro da Terra Firme.
A Feira do Pescado Popular é uma realização da Secretaria Especial de Desenvolvlmento Econômico e Incentivo à Produção e da Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura em parceria com o Governo do Estado e com o Sindpesca.
------------------------------------
Sérgio Noronha
Ascom/Sepaq

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Sepaq reúne com prefeito de Portel para planejar torneio de pesca esportiva

Foi com o prefeito de Portel, Paulo Ferreira, juntamente com a presidenta da Associação dos Pescadores Esportivos do Lago de Tucuruí (Apelt), Mariana Bogéa, mais o representante da Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó (AMAM), Idinor Ferreira, que a Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq), representada pelo seu titular, Henrique Sawaki, se reuniu ontem (16), pela parte da manhã, na sede do órgão. Na ocasião, o assunto tratado pelos representantes foi a elaboração de um planejamento, ou seja, uma programação sobre o Torneio de Pesca Esportiva e Turismo, que acontece uma vez ao ano, no município de Portel. Porém, a divulgação do período que será realizado o evento, depende da visita de uma equipe até o local. Ainda, como o apoio de parcerias, pretende-se realizar na região de Portel, cursos de capacitação para pequenos piscicultores, guias turísticos, donos de hotéis e outros.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Sepaq divulga as tabelas de preço das Feiras do Pescado

Confira as tabelas de preço das Feiras do Pescado que serão realizadas neste sábado (18), na Ceasa, das 5h às 10h e na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, no bairro da Pedreira, das 8h às 14h.


segunda-feira, 13 de maio de 2013

Cogespe dá atenção especial à pesca esportiva no Lago de Tucuruí


Nesta segunda-feira, ocorreu mais uma reunião do Comitê Permanente de Gestão da Pesca Esportiva do Pará (Cogespe), organizada na sede da Secretaria de Pesca e Aquicultura do Estado do Pará (Sepaq). O encontro teve o intuito de solicitar uma Assembléia Geral Extraordinária – AGE, até o final do mês de maio de 2013, com a comunidade de pescadores da região de Tucuruí, juntamente com a sua associação, para tratar da discussão da pesca subaquática de arpão. Os membros que fazem parte da Cogespe como a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), a Secretaria de Estado de Turismo do Pará (Setur), e a própria Sepaq visam com essa reunião uma possível proibição dessa prática no entorno do lago de Tucuruí, devido o manuseio desse instrumento prejudicar a cadeia reprodutiva de pescado. Logo, os dados apresentados no encontro serão mostrados para os representantes das associações e comunidades de pescadores. O próximo encontro está marcado para o dia 03 de junho, às 09h, na sede da Associação dos Pescadores Esportivos do Lago de Tucuruí (Apelt), que fica localizada no Km 11, BR-422 (Sede Aseel Náutica).

Sepaq recebe representantes da prefeitura de Marituba

A Secretaria Estadual de Pesca e Aquicultura (Sepaq), representada pelo seu titular Henrique Sawaki, recebeu hoje uma comissão que representou os interesses da prefeitura de Marituba. Essa comissão composta por Charles Júnior, Thalita Oliveira, Jhony Santos, Mayco Carapinto e Rodrigo Moura veio com o intuito de receber informações sobre a possibilidade de construção de um terminal pesqueiro e projetos relacionados à aquicultura na região.

Feira do Pescado volta neste sábado em dois pontos

No próximo sábado (18), mais duas Feiras do Pescado serão realizadas pela Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq). A primeira, será na Central de Abastecimento do Pará (Ceasa), das 5h às 10h, com diversos produtos ofertados. Na categoria de peixes resfriados estão espécies como pescada amarela inteira (R$16 o quilo) e salmão inteiro (R$25 o quilo). Nos congelados estão peixes inteiros como o tambaqui (R$9 o quilo), a sardinha inteira (R$6 o quilo) e filés de peixe, a exemplo do gó (R$12 o quilo), o salmão (R$25 o quilo) e a merluza (R$12 o quilo). Na Ceasa também terá venda de caranguejo a R$1,25 a unidade.
Às 8h, começa a Feira do Pescado na Paróquia Nossa Senhora Aparecida, localizada no bairro da Pedreira. Lá, a feira segue até 14h com uma grande variedade de peixes inteiros que serão comercializados, como a dourada (R$12 o quilo), gurijuba (R$10 o quilo), piramutaba (R$7 o quilo) e o xaréu (R$4 o quilo). Entre os filés de peixe está o da dourada (R$14 o quilo). A dúzia da ostra será vendida a R$10 e a unidade do siri R$1. É importante ressaltar que os produtos comercializados não serão os mesmos em cada ponto, pois os fornecedores são diferentes. Apenas no ponto da Pedreira será aceito o cartão de crédito além do dinheiro como forma de pagamento.
Recentemente a Sepaq ampliou o projeto da Feira do Pescado para melhor atender a população paraense com a estruturação de mais quatro pontos de venda fixos (Ceasa, Pedreira, Entroncamento e Terra firme). Além disso, a pretensão é que em breve a feira seja realizada em todos os sábados. O objetivo é fazer com que a população tenha acesso ao pescado de qualidade a um preço mais em conta se comparado com supermercados e feiras abertas.
Confira o calendário das feiras a serem realizadas:


segunda-feira, 6 de maio de 2013

Sepaq investe na produção de pescado através da doação de alevinos e pós-larvas

A Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura (Sepaq), em sua sede no Baixo Amazonas, investe na produção de alevinos e pós-larvas de espécies tropicais que vem contribuindo para o desenvolvimento da piscicultura na região. A produção de alevinos e pós-larvas na Estação de Aquicultura Santa Rosa, localizada em Santarém, através de doação de alevinos e pós-larvas para Instituições de Ensino e sociedade civil organizada (associações, cooperativas, pequeno produtor rural, entre outros), além de órgãos municipais ligados ao setor, fomenta a pesquisa e a produção do pescado paraense.

No ano de 2013, levando em consideração o primeiro trimestre, a produção já atingiu o total de 281.300 alevinos, sendo 216.300 de tambaqui, 41.000 alevinos de tambatinga e 24.000 alevinos de pirapitinga. Em relação às pós-larvas, temos um total de 4.550.000, sendo 2.550.000 de tambaqui e 2.000.000 pós-larvas de tambatinga. Vale ressaltar que no primeiro trimestre deste ano já foi possível ultrapassar a produção de pós-larvas do mesmo período de 2012. No total, foram atendidos 13 municípios com doação de alevinos e mais 10 municípios com doação de pós-larvas.

Entre os municípios beneficiados com os alevinos estão Altamira, Santarém, Itaituba, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Rurópolis, Juruti e Vitória do Xingu. Já com a doação das pós-larvas, estão municípios como Alenquer, Altamira, Belterra, Terra Santa, Terra Alta, Tucuruí, Santarém e Uruará.

Em 2012 a produção total de alevinos foi de 1.212.500, sendo distribuídos em 814.000 de tambaqui e 398.000 de tambatinga. Em relação às pós-larvas, a produção total foi de 4.360.000, sendo distribuídas em 3.560.000 de tambaqui, 600.000 de tambatinga e 200.000 de pirapitinga. Ao longo do ano, 22 municípios foram atendidos com alevinos enquanto que para pós-larvas foram 12 municípios.

Conceito de alevinos e pós-larvas

Alevinos são peixes recém saídos do ovo e que já reabsorveram o saco vitelino ou, no caso dos ovovivíparos, são peixes recém-nascidos. Os alevinos são importantes na piscicultura, havendo estabelecimentos que os produzem em grandes quantidades, para venda. As pós-larvas são classificadas como o processo de crescimento anterior ao dos alevinos. É quando os milimétricos peixinhos devem ser contados e distribuídos aos viveiros externos ou tanques de alevinagem intensiva.